sábado, 31 de outubro de 2009

ANÁLISE SOBRE O SOM BRASIL


Ontem eu (e certamente metade dos amantes da música popular brasileira) ficamos presos a telinha, aguardando ansiosamente a merecida homenagem que o Som Brasil prestou ao grande artista Moraes Moreira.

Ele acompanhado do filho Davi iniciou o programa, com sua habitual presença de palco cantando ‘Lá vem o Brasil descendo a Ladeira’, ‘Acabou Chorare’, Pombo Correio’ e ‘Festa do Interior’.
Moraes como sempre, não se intimidou, em um programa de televisão aberta, e mostrou o grande artista que é. Criativo, alegre, inteligente, grande musicista e excepcional letrista.

É muito fácil perceber no universo de suas canções, toda sua dedicação a música brasileira de qualidade, suas musicas na minha concepção, e talvez na de muitos, marcaram gerações, e ela em meio aos sucessos mercadológicos que passam muito rapidamente, possui uma marca registrada de muito bom gosto, atemporal e impregnado de rima, e muita poesia. Quem acompanha sua carreira há de concordar comigo.

Jussara Silveira, não veio sozinha e trouxe Teresa Cristina e Rita Ribeiro para cantarem ‘Meninas do Brasil’, com ela. Meninas do Brasil é certamente uma das mais lindas canções de Moraes em parceria com outro grande nome da composição brasileira o poeta Fausto Nilo. A canção gravada por ele no álbum Bazar Brasileiro (1980), obteve grande sucesso na década de 80, sendo tocada nas rádios e alcançando repercussão popular.

Meninas do Brasil interpretada pelo trio, no entanto, fez jus a letra e elas interpretaram com beleza esta obra-prima que homenageia as mulheres brasileiras, foi certamente um dos momentos mais emocionantes do programa, o que me levou a considerar inclusive esta gravação superior a gravada em DVD no ano passado pelo trio. (Abro neste espaço as opiniões dos demais leitores sobre esta minha observação pessoal... Alguém discorda ou concorda?)

Voltando a artista, tema e foco deste blog, Jussara Silveira foi apresentada por Camila Pitanga como uma cantora de grande densidade emocional e assim de fato ela é, uma cantora extraordinária.

Na canção ‘Besta é Tu’, achei particularmente uma excelente apresentação, mas (os que não concordam que me perdoem a análise) percebi que ela ficou um pouco inibida, com certa timidez. Já Lanlan desinibiu-se por completo e arrasou com os seus instrumentos, belíssima participação, assim como de todos os músicos que acompanharam Jussara.

Pelo que soube Jussara também cantou ‘A Menina Dança’, outro clássico do artista homenageado interpretado por Baby, e há alguns anos por Marisa Monte, mas foi cortada, um fato lamentável, sobretudo para nós os fãs da artista.

Voltando as análises do programa à participação de Márcia Castro me impressionou, não a conhecia e o Som Brasil tem isso de maravilhoso, resgata anônimos ilustres, te apresenta novos talentos. e mostra o que o Brasil tem. Percebi que ela tem uma bela voz, uma ótima postura no palco, muito descontraída, ou seja, uma artista que certamente ainda ouviremos falar com entusiasmo na mídia, foi brilhante suas interpretações para: ‘Preta, Pretinha’, ‘Forró do ABC’, destaco neste momento ‘Vassourinha Elétrica’.

A Aline Muniz para mim deveria ter sido melhor. Não tirou o brilho do programa evidentemente, mas deixou a desejar, não percebi nela a alegria tão característica de Moraes, seu toque de sensualidade nas interpretações, não convenceu, também pudera interpretar músicas, imortalizadas na voz de outros nomes da MPB, é uma tarefa delicada. Suas interpretações foram: ‘Bloco do Prazer’, Palavras ao Vento’ e ‘Pão e Poesia’.

Por fim, minha análise final é de que o programa teve um saldo bastante positivo, não podemos negar que a homenagem foi bela e merecida e a altura da sensibilidade do artista em questão, a produção poderia ser mais assertiva na distribuição dos artistas e músicas, mas o que registro neste texto é a satisfação de ver profissionais da música, mostrando seu talento, e tentando não permitir que grandes artistas como o Moraes e tantos outros já homenageados não caiam no esquecimento do Mercado Fonográfico, nem do público.

4 comentários:

Ana Carla disse...

Infelizmente eu nao assisti ao programa, mas me senti revendo-o através de sua análise.

Faça-as sempre, é um momento inclusive para discussão, do porque programas de conteudo, com essencia e cerebros, ocupam lugares tão distante dos horários nobres das emissoras?

Os intelectuais, ou pessoas de bom gosto musical e cultural, e que geralmente precisam trabalhar duro no dia seguinte, para manter-se consumindo, estes produtos culturais, ir aos shows, livrarias, pagar as contas de luz e televisao a cabo, por exemplo, nao podem ficar a disposição dos horários em que eles disponibilizam, para nós.

Enfim, é um desabafo democrático apenas, louvo no entanto as homenagens, ao bom e sempre novo baiano, Morais, um mestre!

Jam disse...

Clê!

Texto muito bom, simples e muito bonito gostei muito. A respeito do programa tive a mesma impressão em relação a timidez de Jussara , mas nada que lhe tirasse o brilho, sua voz belissima. Me encanta vê-la e ouvi-la, sua presença é marcante... e que venham outros programas, afinal precisamos tanto de belas apresentações musicais que estejam ao alcance de tds.

Gustavo Santanna disse...

Oi!

Depois da merecida pausa que o feriado proporcionou a nós pobres mortais, volto e me deparo com seu texto. Não consegui assistir ao programa no dia mas fiz questão de assistir todos os vídeos no site oficial da Globo.

Me impressionou a beleza da Jussara e mais ainda as meninas Teresa, Rita e nossa Jú. Concordo, esta foi a melhor apresentação da música Meninas do Brasil que eu já assisti.

Um abraço.

Cleicia Teixeira disse...

Ana, Jam e Gustavo!

Amei os comentários de vocês e fiquei imensamente feliz pela participação ativa. Muito obrigada!

Espero muito em breve vê-los participando do nosso blog.

Beijos,
Clê.